Niquelação de Carburadores

  Olá a todos, aqui iremos abordar o tema: Niquelar ou não um carburador? 
Autor: Colet, J.M (2016)

Um carburador sem tratamento fica sujeito a várias condições de desgaste prematuro. Em nosso etanol, fabricado da cana de açúcar, é necessário o controle do PH, pois este se mostra ácido (abaixo de 7) e para realizar este controle é adicionado hidróxido de sódio. Este composto químico por si só, já causa corrosão, veremos adiante o porque: 
Voltando as aulas de química, hidróxido de sódio é vulgarmente conhecido como soda caustica (isto mesmo!!!), possuindo alto poder de corrosão e PH alcalino, ou seja, acima de 7. Ele reage de forma exotérmica (ocorre liberação de calor) com a água e é produzido por eletrólise de uma solução aquosa de cloreto de sódio (salmoura), sendo produzido juntamente com o cloro.
Eis aqui que o problema de destruição dos carburadores em geral tem como fator principal a SODA, e não o álcool. 
As gosmas, geleias e pós brancos que surgem na cuba, canetas, canais, são chamados de hidróxido de amônio. O hidróxido de amônio, de fórmula química NH4OH é uma base solúvel e fraca, só existe em solução aquosa quando faz-se o borbulhamento de amônia (NH3) em água.
Mas qual água? Etanol tem por lei 7% de água em sua composição, então não tem como fugir do problema.
Na gasolina é adicionado álcool anidro, que por sua vez por lei tem que ter 99,7% de pureza, mas adivinha quem são os 0,3% faltantes? ÁGUA! 
Se a gasolina ficar em processo de decantação ou em estado estacionário em cuba de carburadores, também apresenta o processo, porém muito mais cauteloso.
Até então falamos dos problemas, e você agora já sabe o porque é necessário niquelar um carburador, principalmente para o uso no álcool. Agora vamos a solução, descrevendo como é feito o processo de niquelamento para proteção e eficiência do carburador.
O tratamento, como é feito?
Em primeiro lugar desmonta-se totalmente o carburador, não fica nada grudado, parafusos, selos, eixos, etc tudo é devidamente desmontado por um técnico especializado. Então, as peças são imersas em um banho de níquel químico alto fósforo cujas propriedades estão descritas ao final do texto. A camada depositada é uma liga semi-brilhante e uniforme com ótima resistência à corrosão, boa resistividade elétrica e dureza.Este processo é recomendado sempre que for necessária a obtenção de alta resistência à corrosão, tal como aquela requerida para componentes das indústrias petrolíferas e de gás, aeroespacial e indústrias químicas e automobilística. Este processo é especialmente útil em virtude da ausência de chumbo e cádmio na camada. Vale ressaltar que o depósito reflete o acabamento do material base. Se este for polido e isento de porosidades, a camada depositada terá a mesma aparência.
Todos os processos químicos aplicados ao carburador possuem Certificação ISO 9001 e 14002. As perspectivas de durabilidade, no entanto, dependem da qualidade da liga do equipamento, mas, via de regra, temos observado que a vida útil da camada aplicada tem durado entre 3 e 5 anos, em média. Mas, já constatamos casos da camada durar mais de 6 anos. De qualquer forma é um ótimo custo/beneficio. 
Propriedades do Níquel Químico 
• Uniformidade de camada: A camada depositada é extremamente uniforme, o que não ocorre nos processos que utilizam corrente elétrica. Peças com geometrias complexas, cantos vivos, furos cegos, roscas, etc, recebem a mesma camada de deposição que as superfícies planas. Esta excelente uniformidade é especialmente importante para peças com tolerâncias críticas. 
• Espessura de camada: O depósito de camada é controlado com tolerância de 2µm, podendo ser depositado em camadas de até 150µm. Carburadores originais vêm de fábrica com 7-8 µm. Normalmente é feito com 12 µm.
• Aderência: Possui excelente aderência sobre os mais diversos substratos, tais como: aço carbono, aço inox, latão, alumínio, zamack (Ex. Corpo de um DFV 446), etc. 
• Resistência à corrosão: A resistência à corrosão depende do teor de fósforo presente na camada de níquel químico, para concentrações maiores há melhor resistência à corrosão. Convém salientar que o depósito de níquel químico acompanha as imperfeições do material base, não recobrindo poros, o que pode ocasionar uma menor resistência à corrosão em materiais muito porosos. 
• Resistência à abrasão (desgaste): A resistência à abrasão se traduz na dureza da camada de Níquel Químico depositada. Esta dureza da camada pode variar de 48RC até 70RC após tratamento térmico da camada. Utilizamos nos carburadores o níquel com alto teor de fósforo – NP2 
Portanto, agora você conhece os motivos aos quais é necessário o tratamento de níquel em um carburador, principalmente em veículos cujo combustível é o etanol. Além da prevenção da corrosão, o tratamento previne o entupimento de galerias, gigles e partes internas devido à formação do gel, não dando dores de cabeça como marcha lenta irregular, buracos na aceleração, etc.   

Contato pelo e-mail : classicracingparts@gmail.com ou celular do mesmo 044 9 9182-9220.